Ir para o conteúdo

Amabília Almeida — Memória da Educação na Bahia — Noosfero UFBA

Comunidade

Memória da Educação na Bahia

ou
Tela cheia

Amabília Almeida

23 de Novembro de 2017, 15:56 , por Bruno Gonsalves - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 44 vezes
amabilia

Amabília Almeida

A educadora e política Amabilia Almeida teve sua primeira formação enquanto professora primária, aos 17 anos, em Jacobina, sua cidade natal. Em 1947, passou no concurso para professores do Estado da Bahia e começou sua carreira de educadora e articuladora política, sendo posteriormente, vereadora e deputada constituinte. Presidente da Associação Feminina da Bahia, em 1954, foi candidata à direção da Sociedade Unificadora dos Professores Primários. Em 1964, Amabilia foi perseguida pelo governo militar e aposentada compulsoriamente por força do Ato Institucional n°2, com 16 anos de serviço.

Em 1965, fundou a Escola Experimental, referência em educação no Estado da Bahia. Umas das fundadoras do Movimento Feminino pela Anistia, atuou com destaque em defesa da Assembleia Nacional Constituinte e das eleições diretas. Conquistada a anistia, em 1979 participa ativamente da construção do PMDB, sendo eleita Presidente do Movimento Feminino de tal partido Em 1983, como vereadora e em 1986, como deputada estadual constituinte, sempre teve como propósito a luta em defesa dos direitos das mulheres, do direito do consumidor e em favor da educação.

Como deputada estadual constituinte, foi relatora do capítulo da Educação, Ciência e Tecnologia e conseguiu inserir na constituição baiana um capítulo específico dobre os direitos da mulher, ato inédito no Brasil daquela época.

Integrou o governo de Lídice da Mata em Salvador, dirigindo a Liga de Assistência e Reintegração, mesclando assistência social com atividades de formação para a cidadania. Desenvolveu projetos em prol das crianças, adolescentes e idosos. Sempre em defesa da mulher, implantou o Centro de Profissionalização da Mulher – CEPROM, no sentido de dar-lhes dignidade, profissão e cidadania.

Em 2012, foi condecorada com a medalha Anísio Teixeira na Câmara dos Vereadores da Cidade do Salvador em função do reconhecido trabalho desenvolvido em educação. Em 2013, recebeu do Senado Federal o Diploma Bertha Lutz, pela sua reconhecida luta em defesa dos direitos da mulher.

 

Transcrição do depoimento (breve)

 

 


Assista o vídeo depoimento na íntegra

amabilia

Depoimento em Partes


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

* campo é obrigatório

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.