Ir para o conteúdo

Comunidade

Memória da Educação na Bahia

Ana Célia Silva

0 sem comentários ainda Ninguém está seguindo este artigo ainda. 29 visualizações
Licenciado sob CC (by)

Ana Célia Silva

Ana Célia da Silva é uma mulher negra, soteropolitana, filha de pai motorneiro de bonde e mãe camponesa e também de Bessen, nascida no Centro Histórico de Salvador, criada no Engenho Velho de Brotas, tem 78 anos e teve doze irmãos. Detentora de uma fala dócil, compassada, extrovertida e detalhista. Foi uma criança que sempre gostou de ler. Estudou no Colégio Sete de Setembro durante a infância, localizado na avenida Vasco da Gama e depois fez o ginásio e o pedagógico no ICEIA, referência de ensino na Bahia. Ingressou na Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 1965, onde teve colegas famosos como Caetano Veloso e seguiu na carreira acadêmica fazendo mestrado (1988) e doutorado (2001) na mesma instituição. Sempre ativa nas questões coletivas, muito engajada. É pedagoga, militante do Movimento Negro - participou da fundação do Movimento Negro Unificado (MNU) - pesquisadora da área de Currículo e Educação das Relações Étnicorraciais, foi professora do Colégio Anísio Teixeira assim que concluiu a graduação e tempos depois, professora titular aposentada da UNEB. Teve participação no incentivo à lei 10.639/03 que prevê a obrigatoriedade do ensino da história e cultura africana e afrobrasileira, no Ensino Fundamental e Médio, em escolas públicas e particulares. Referência para muitos e muitas, a pedagoga possui três livros e também escreve poemas para o Cadernos Negros. Já recebeu diversos títulos e homenagens, a exemplo da Medalha Zumbi dos Palmares da Câmara Municipal de Salvador, honraria concedida à pessoas que se destacam na luta pelo combate à prática do racismo e a favor da cultura afro-brasileira. Atualmente está se dedicando a escrita de sua autobiografia e na publicização do trabalho do seu já falecido irmão Jonatas Conceição. Uma mulher que através dos estudos ascendeu socialmente e preocupou-se em contribuir com a comunidade negra. (Por: Isadora Cruz)

 

Transcrição do depoimento aqui

Assista o vídeo depoimento na íntegra aqui.


0 sem comentários ainda

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.