Ir para o conteúdo

My network

ILUSTRAÇÃO DE 1750

 

Vejam uma das  melhores representações da Catedral ainda intacta em meados de 1750

Ilustração da p. 312 do livro de José Antônio Caldas "Noticia Geral de toda esta Capitania", publicado em Lisboa em 1758.

FONTE: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1425200A

 

 

Um pouco da história de Salvador

0 sem comentários ainda Ninguém está seguindo este artigo ainda. 76 visualizações

Em 1500, quando Pedro Álvares Cabral chegou a Porto Seguro, a região era habitada pelos tupinambás um dos povos tupis. Em 1º de novembro de 1501, a expedição portuguesa comandada por Gaspar de Lemos e acompanhada por Américo Vespúcio, cartógrafo e escritor italiano, descobriu a Baía de Todos os Santos. A Baía reunia qualidades portuárias e de localização, o que a tornou referência para os navegadores, passando a ser um dos pontos mais conhecidos e visitados do Novo Mundo.

 

 Índios Tupinambás

 

Em 1510, ocorreu o naufrágio de um navio francês perto do bairro de Rio Vermelho. Diogo Álvares Correa era um português que fazia parte da tripulação, que viria a exercer um importante papel como mediador das relações entre os navegadores europeus e os nativos tupinambás. 

Em 1531 Martim Afonso de Sousa foi o primeiro europeu a desembarcar no Morro de São Paulo, ele  liderava uma expedição determinada a explorar a costa do continente.

Em 1534 o primeiro donatário português, Francisco Pereira Coutinho, que recebeu capitania hereditária de El-Rei dom João III, fundou o Arraial do Pereira, nas imediações onde hoje está a Ladeira da Barra.

Também em 1534, foi fundada a capela em louvor à Nossa Senhora da Graça, porque ali viviam Diogo Álvares e sua esposa, Catarina Paraguaçu, uma índia tupinambá.

Foi o rei D. João III quem  nomeou o militar Thomé de Sousa para ser o Governador-geral do Brasil e fundar, às margens da Baía, a primeira metrópole portuguesa na América. Ele chegou em 29 de março de 1549, com uma frota de colonos portugueses e fundou uma cidade-fortaleza chamada "São Salvador da Bahia de Todos os Santos", a primeira metrópole portuguesa na América.

Nasceu, assim, a cidade de Salvador, como capital do Brasil, e foi por muitos anos a maior cidade das Américas e rapidamente se tornou o principal e importante centro da indústria de açúcar e do comércio de escravos.

Thomé de Souza chegou com uma tripulação de cerca de mil homens – entre voluntários, marinheiros soldados e sacerdotes, que ajudaram na fundação e povoação de Salvador.

 O trecho que vai da atual Praça Castro Alves até a Praça Municipal, o plano mais alto do sítio, foi escolhido para a construção da cidade fortaleza.

Em 1823, mesmo um ano depois da proclamação da Independência do Brasil, a Bahia continuou ocupada pelas tropas portuguesas do Brigadeiro Madeira de Mello. No dia 2 de julho do mesmo ano, Salvador foi palco de um dos mais importantes acontecimentos históricos para o estado e que consolidou a total independência do Brasil. A data passou a ser referência cívica dos baianos, comemorada anualmente com intensa participação popular. E também deveria ser comemorada por todos os brasileiros, já que o Brasil somente pôde se considerar totalmente independente de Portugal depois da Bahia e principalmente Salvador ter derrotado e expulsado definitivamente os portugueses do solo brasileiro.

 Estas são apenas alguns dos milhares de fatos históricos relacionados à nossa identidade citados para ilustrar ser estudar a história da nossa terra pode ser  maravilhoso.

 Seguem abaixo alguns ícones do passado de nossa terra, Salvador da Bahia, Brasil.

  

 Forte e Farol de Santo Antonio da Barra

A primeira estrutura do forte foi erguida entre 1583 e 1587, para defesa da barra do porto. Reedificado a partir de 1696, recebeu um farol para auxiliar as embarcações que chegavam à Baía.

 

 

Forte de São Marcelo

Terminado em 1623, no Governo-Geral de D. Diogo de Mendonça Furtado (1621-1624), esteve inicialmente artilhado com dezenove peças de diversos calibres. Durante a invasão holandesa de 1624, foi a primeira praça ocupada pelos conquistadores.

 

 

Forte de Santa Maria

Erguido a partir de 1614 rechaçou, nos meses de abril e maio de 1638, o assalto das forças holandesas comandadas pelo Conde Maurício de Nassau

 

 Elevador Lacerda

e

   Mercado Modelo

Construído pelo empresário baiano Antônio de Lacerda e o engenheiro Augusto Frederico, seu irmão, foi inaugurado em 1873 e a partir de 1896, passou a se chamar Elevador Lacerda. Na época, além de ser o mais alto, era também o primeiro elevador público do mundo. Com a chegada da eletricidade, o mecanismo hidráulico foi substituído por um elétrico, em 1906.

 

 

 

 

Catedral Basílica

A atual Catedral Basílica Primacial São Salvador, foi a antiga capela do colégio dos jesuítas, que depois de algumas reformas se completou o aspecto atual em 1746.

 

Igreja de São Francisco

As obras tiveram início oficial em 1686 e somente terminaram em 1797.
É considerada a mais rica expressão do Barroco brasileiro, com altares e capelas douradas. Hoje é Patrimônio da Humanidade.
A igreja é especialmente preciosa pela sua exuberante decoração interior. 

 

Sé Primacial do Brasil

 A Sé que foi demolida em 1933.

Notem que maravilha eram suas imensas portas almofadadas.

 

A Cruz Caída

Escultura em aço inox que representa o desaparecimento da antiga Sé Primacial do Brasil contém de alguma forma, como obra contemporânea, referências plásticas à grandeza e a monumentalidade arquitetônica e escultórica, inspiradas no simbolismo da cruz das suas imensas portas almofadadas. Feita pelo artista plástico Mário Cravo, a Cruz Caída está localizada no Belvedere da Sé, ao lado do Paço Arquiepiscopal.

 

 

 

 

A simulação do que poderíamos ter hoje no centro de Salvador, se não tivessem tido a ideia
macabra de, em nome do progresso, favorecer os interesse da Companhia Linha Circular que tinha projeto de modificar as suas linhas de bonde naquele local.

 

 

 

 

 

 

 

 


0 sem comentários ainda

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Vejam como era ...

Antiga Catedral

Reconstituição de Vilhena

 

 

 

 

 

O português Luís dos Santos Vilhena chegou em Salvador em 1787, onde foi professor de grego até 1814. Em uma de sua obras, publicada em 1802, apresenta uma ilustração da Sé, como existia no século 18.

 

 

 

O original deste documento está na Biblioteca Nacional. Veja mais em

 

http://www.bahia-turismo.com/salvador/igrejas/fotos/se-vilhena.htm

 

 

VEJA UM POUCO

DA HISTÓRIA DE SALVADOR